Laboratório de Análise Ambiental
  • Sobre cancelamento de atividades coletivas no LAAM

    Publicado em 15/03/2020 às 13:39

    Em função do aumento de casos do Covid-19 (coronavírus) na Grande Florianópolis, a fim de resguardar a integridade física dos pesquisadores e estudantes, e, procurando seguir protocolos internacionais e indicações de pesquisadores nacionais sobre a transmissão do vírus, a coordenação do Laboratório de Análise Ambiental está suspendendo por tempo indeterminado as atividades coletivas.

    Pesquisadores podem utilizar o espaço do Laboratório de Análise Ambiental para atividades individuais. Pedimos que se evitem reuniões e atividades coletivas.

    Para saber mais sobre o Covid-19 e as ações da UFSC acesse https://noticias.ufsc.br/2020/03/coronavirus-ufsc-esclarece-principais-duvidas-sobre-medidas-de-contingencia/

    at.

    Prof. Dr. Orlando Ferretti

    Coordenador do Grupo de Pesquisa Observatório de Áreas Protegidas (OBSERVA).

    Coordenador do Laboratório de Análise Ambiental (LAAM)


  • Seleção de bolsista PIBE 2020 para o LAAM

    Publicado em 02/03/2020 às 13:49

    O Laboratório de Análise Ambiental está selecionando bolsista PIBE para atuar no Laboratório de Análise Ambiental junto ao Projeto Bosque do CFH.

    As atividades do bolsista serão desenvolvidas no Laboratório de Análise Ambiental, em parceria com a CGA/UFSC e a Comissão do Bosque do CFH e têm relação direta com a formação do profissional em Geografia, tanto no campo da licenciatura quanto do bacharelado.
    O bosque do CFH tem passado por mudanças significativas recentemente e os bolsistas irão atuar na manutenção de atividades realizadas pelo LAAM e CGA. Bem como, na ampliação das ações de Educação Ambiental com escolas da região. O bolsista também irá participar da articulação e discussões do novo projeto para o bosque que será apresentado a comunidade no início de 2020.

    Nas atividades do Projeto BOSQUE do CFH o estudante irá:
    1. participar das reuniões de planejamento.
    2. Contribuir com o site do projeto.
    3. Acompanhar e desenvolver cursos e oficinas.
    4. Secretariar e acompanhar oficinas de professores e oficinas de planejamento.
    5. Manter contato com a Coordenadoria de Gestão Ambiental da UFSC para alinhar as ações no Bosque as ações da CGA/UFSC
    6. Participar do grupo de estudo do Bosque
    7. Participar de eventos científicos
    8. Efetuar registro audiovisual das ações do Projeto Bosque.

    Interessados na bolsa PIBE devem enviar o histórico escolar (não pode ter IAA menor que 6,0 e não pode ter reprovação no semestre anterior) para o email do coordenador , no email fazer uma justificativa sobre o interesse no Projeto Bosque.

    Deve-se ter experiência em projetos de Educação Ambiental e/ou Educação Patrimônio Natural, e algum conhecimento de pedologia e biogeografia.

    A seleção vai até a sexta-feira dia 06 de março.

     

    Setor Solicitante: DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS / GCN/CFH
    Solicitante: ORLANDO EDNEI FERRETTI
    Edital: PIBE2020
    Bolsas Solicitadas: 1
    Grupo Solicitado: Departamentos de Ensino
    Setor de Estágio: DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS / GCN/CFH
    Campo de Estágio: Laboratório de Análise Ambiental – Projeto BOSQUE
    Provável Supervisor: ORLANDO EDNEI FERRETTI

  • O retorno dos Guarás em Florianópolis

    Publicado em 05/12/2019 às 17:22


  • Disciplina de pós-graduação em Geografia é realizada no Laam com prof. visitante

    Publicado em 04/12/2019 às 08:37

    Disciplina de Análise Ambiental da Paisagem é realizada no LAAM

     


  • Abertura de vagas para o Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFSC

    Publicado em 20/08/2019 às 10:39


  • Equipe do LAAm publica artigo sobre os condicionantes do uso da terra em área de descarga do SAIG/SG

    Publicado em 12/04/2019 às 20:22

    Análise de uso da terra ao longo de 60 anos.

    O artigo foi publicado no 5º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações, em 2018 e versa sobre os “Processos de transformação da paisagem: condicionantes da dinâmica de uso da terra em área de recarga e descarga do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG) em Santa Catarina“.

    Com base na fotointerpretação de fotografias aéreas e imagens de satélite, o estudo procurou identificar as mudanças nos padrões espaciais de florestas, pastos, áreas cultivadas e pavimentos (áreas urbanizadas) associados à dinâmica socioeconômica do Estado de Santa Catarina, e do país, a partir da segunda metade do século XX, para uma seção do Vale do Rio Canoas suprida por águas subterrâneas provenientes do SAIG/SG.

    Os resultados mostraram que a expansão de florestas nas encostas, sobre a área de afloramento do SAIG/SG, onde antes havia a presença de pastagens e áreas cultivadas, sugere o melhoramento de processos de regulação do ambiente, avaliadas sob a luz dos processos de recarga e descarga de águas subterrâneas. Da mesma forma, o estudo evidencia a importância de como pesquisas sobre configurações pretéritas da paisagem podem ser incorporadas nas avaliações ambientais.

    A pesquisa contou com o apoio da Rede Guarani/Serra Geral, um projeto fomentado pela FAPESC, ANA, Caixa Econômica Federal, MCT e CNPq.

    Texto: Geovano Hoffmann

    Revisão: Arthur Nanni


  • Estudo aponta nova compartimentação do SAIG/SG em Santa Catarina

    Publicado em 03/01/2019 às 19:54

    Análise morfométrica a partir das anomalias topográficas em rios principais de SC.

    O estudo Blocos hidrogeológicos do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral em Santa Catarina, tema do trabalho de conclusão de curso em geologia da geóloga Leila Amaral, buscou, através de análises morfométricas, estratigráfica e geológicas, melhorar a delimitação de possíveis blocos hidrogeológicos do Sistema Integrado Aquífero Guarani/Serra Geral em Santa Catarina (SAIG/SG). O estudo visa contribuir com a gestão de recursos hídricos, promovida pelo Projeto Rede Guarani/Serra Geral e é uma parceria entre o Laboratório de Hidrogeologia e o Laboratório de Análise Ambiental da UFSC.

    Análises morfométricas foram desenvolvidas para determinar as assimetria de bacias, o índice de gradiente, o índice de concentração de rugosidade e de lineamentos estruturais. Uma confrontação entre perfis longitudinais de drenagem e curvas de melhor ajuste foi realizada para os rios principais que ocorrem na área de estudo.

    A análise das geomorfoestruturas evidenciou a influência da tectônica na compartimentação hidrogeológica do SAIG/SG, indicando a ocorrência de sistemas de falhas normais marcadas ao longo dos perfis longitudinais de drenagem e por meio de mudanças litológicas, grandes rupturas de declive com valores anômalos do índice de gradiente e mudanças abruptas do índice de concentração de rugosidade.

    O estudo conseguiu melhorar as respostas de estruturas geológicas delimitantes de blocos hidrogeológicos no SAIG/SG ora propostas no estudo Geomorfoestruturas e Compartimentação Tectônica do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral no Estado de Santa Catarina, Brasil, realizado em 2015 por Descovi Filho. As investigações e análises seguem em desenvolvimento, pois precisam ser confirmadas ou não em novos estudos de maior detalhamento.

    A pesquisa contou com o apoio da Rede Guarani/Serra Geral, um projeto fomentado pela FAPESC, ANA, Caixa Econômica Federal, MCT e CNPq.


  • Projeto de extensão envolvendo QGIS apresenta os seus resultados

    Publicado em 19/12/2018 às 21:21

    Comparativo entre aplicativos do mesmo segmento ao longo da existência da Comunidade QGISBRasil.

    A equipe do LAAm publicou o relato de experiência Adequação do software livre de Sistema de Informações Geográficas QGIS ao público brasileiro, na edição de dezembro/2018 do periódico Extensio: Revista Eletrônica de Extensão. O relato é resultado do projeto de extensão desenvolvido no âmbito do LAAm e em parceria com a Comunidade QGISBrasil.

    O artigo apresenta a consolidação do processo de portabilidade do QGIS no Brasil e de democratização do acesso a essa ferramenta de geoprocessamento, a partir das ações do projeto de extensão. Os resultados do projeto indicam maior acessibilidade ao software, evidenciada pelo aumento no número de usuários do QGIS, através do aumento de procura pelo termo de busca na web, assim como o incremento no número de inscritos em redes sociais.  As ações de tradução e divulgação do QGIS realizadas pelo projeto de extensão mostram-se eficientes e devem continuar para que mais usuários brasileiros possam ter acesso a essa ferramenta de geoprocessamento livre.

    Texto: Geovano Hoffmann
    Revisão: Arthur Nanni

  • Tecnologias livres auxiliam atividades de pesquisa do LAAm

    Publicado em 17/09/2018 às 18:15

    A equipe do LAAm publicou artigo O uso de geotecnologias livres: QGIS e EpiCollect no levantamento de dados em Geociências, na edição número 21, do periódico GeoFocus, organizado pela Associação de Geógrafos da Espanha.
    O trabalho foi desenvolvido no âmbito do Projeto Rede Guarani/Serra Geral como metodologia autônoma de baixo custo voltada para a coleta de dados em atividades de campo a partir das geotecnologias livres QGIS para Android e EpiCollect. O artigo conclui que uso dessas ferramentas é eficiente para a coleta de dados e navegação em tempo real em campo. A combinação delas também mostrou a versatilidade de aplicá-la em atividades acadêmicas e profissionais sem custos adicionais.

    A experiência exposta no artigo está sendo amplamente utilizada no levantamento de informações de campo referentes ao Projeto Rede Guarani/Serra Geral. Além de acessível em termos econômicos, a adoção das tecnologias livres permite a aquisição de informações simultâneas e centralizadas em um banco de informações comum, fornecendo uma maior dinâmica e confiabilidade no processo de pesquisa.

    A pesquisa contou com o apoio da Rede Guarani/Serra Geral, um projeto fomentado pela FAPESC, ANA, Caixa Econômica Federal, MCT e CNPq.

    Texto: Geovano Hoffmann

    Revisão: Arthur Nanni


  • Pesquisa mostra importância das florestas na manutenção das vazões de águas

    Publicado em 22/04/2018 às 11:10

    Apresentação dos resultados da dissertação por Geovano Pedro Hoffmann, integrante do LAAm.

    A pesquisa Efeitos da modificação do uso da terra sobre o comportamento do escoamento em área de descarga do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG), foi desenvolvida por Geovano Pedro Hoffmann em sua dissertação de mestrado, que está vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Geografia/UFSC. O desejo pela temática da pesquisa partiu do interesse de Geovano em vincular sua pesquisa prévia, que versou sobre O uso da terra e a influência sobre o volume das águas na Bacia do Rio Biguaçu – SC, ao Projeto Rede Guarani/Serra Geral.

    Os resultados comprovaram os efeitos da modificação do uso e cobertura da terra nas variações do fluxo subterrâneo das águas, a partir da interferência de ações antropogênicas, decorrentes do processo histórico de ocupação e apropriação do espaço e, que acarretaram transformações da paisagem, próprias de âmbito local, mas que também apresentaram influências de processos de escalas espaciais mais abrangentes, inclusive globais, tal como ocorridas no mundo, e no Brasil, a partir da segunda metade do século XX.

    A área de estudo abrangeu a seção da porção superior da Bacia Hidrográfica do Rio Canoas/SC, tendo como exutório, a estação hidrometeorológica Vila Canoas/SC, na qual estão inseridos os municípios de Urubici, Rio Rufino e pequena parte do município de Bom Retiro. Ela se conforma como um excelente espaço, senão o único em Santa Catarina, que permite ser realizada a avaliação da interação aquífero-rio,  pois nela o SAIG/SG ocorre em altitudes acima do nível de base da bacia hidrográfica.

    O estudo de caso discute ainda estratégias de reconfiguração do uso e cobertura da terra nas bacias hidrográficas, apropriadas à conservação das águas do SAIG/SG, como mecanismo da gestão integrada de águas, que possam, além de reduzir a explotação do sistema hidrogeológico, também estimular a recarga de águas subterrâneas e a consequente manutenção das vazões dos cursos d’água na bacia hidrográfica.

    A pesquisa foi financiada pelo projeto Rede Guarani/Serra Geral, um projeto fomentado pela FAPESC, ANA, Caixa Econômica Federal, MCT e CNPq. O resultado inovam ao trazer uma metodologia que pode estimar flutuações do regime de águas em sistemas aquíferos para bacias hidrográficas onde não há informações contínuas e históricas acerca das vazões. Desta forma, espera-se poder aplicar a mesma para outras áreas de abrangência do SAIG/SG.

    Texto: Geovano Hoffmann

    Revisão: Arthur Nanni