Gestão de águas subterrâneas da RGSG ganha ferramenta de apoio

27/07/2017 12:13

Equipe de pesquisadores envolvidos: Luiz Fernando Scheibe, Luiz Motta, Arthur Nanni e Mariana Blank.

A Rede Guarani/Serra Geral (RGSG), em parceria com o IBAMA, a comunidade QGISBrasil, o LAAm e o Laboratório de Hidrogeologia, promoveram melhorias na ferramenta Midvatten, um complemento de processamento de informações sobre águas subterrâneas.

O Midvatten, desenvolvido pela empresa sueca de mesmo nome, é uma ferramenta de processamento de informações de águas subterrâneas, de código aberto e incorporado ao QGIS.

Luiz Motta, servidor do IBAMA e contribuidor de scripts para o QGIS, esteve em Florianópolis para auxiliar a equipe do LAAm na internacionalização do complemento Midvatten. Esse passo no desenvolvimento permitirá que a ferramenta seja traduzida para o português e outros idiomas. No caso do Brasil, Mariana Blank, acadêmica e membro da comunidade QGISBrasil, ficou responsável pela adequação da terminologia técnica utilizada pela ferramenta.

O intuito dessa atividade é prover uma ferramenta de processamento de dados à todos os pesquisadores participantes da RGSG, facilitando assim, a comunicação de dados e pessoas entre as diferentes parceiros que compõem a RGSG, pois a ferramenta é livre. Logo, os usuários da ferramenta poderão não apenas utilizar, mas também colaborar para o seu aprimoramento.

Outro passo importante é permitir que laboratórios de pesquisa e ensino possam dispor de uma ferramenta para formação de alunos dos cursos de geologia, na temática da hidrogeologia. Tão logo estejam prontos os tutoriais de uso do Midvatten, os mesmos serão disponibilizados no site do Laboratório de Hidrogeologia.

Equipe do LAAm amostra águas no oeste catarinense

17/03/2017 23:05
Determinação de parâmetros em campo.

Determinação de parâmetros em campo.

A equipe do LAAm prossegue com as atividades da Meta 1 – Componente 1 do projeto Rede Guarani/Serra Geral. Entre os dias 13 e 15 foi realizada uma campanha de amostragem de águas subterrâneas nos municípios de Águas Frias e Quilombo, situados no oeste catarinense. A atividade contou com a parceria com a AMOSC e EPAGRI e teve como objetivo a coleta de águas de poços tubulares do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG). A região possui fontes com águas sulfurosas que indicam recarga ascendente de águas subterrâneas profundas evidenciando a interconexão entre os aquíferos que constituem o SAIG/SG. A amostras seguem agora para a determinação de parâmetros físico-químicos, com intuito de diagnosticar diferentes tipos de águas, bem como sua proveniência na coluna hidroestratigráfica. A campanha contou com a participação da engenheira química Juliana Guarda do CIDEMA (Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Meio Ambiente) e da química Adriana Klock, responsável técnica do laboratório do Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da EPAGRI em Chapecó.

Em campo, foram determinados parâmetros como pH, condutividade elétrica e temperatura das águas. Em laboratório serão ainda avaliados cálcio, magnésio, sódio, sulfatos, cloretos, fluoretos e bicarbonatos. Com os resultados, espera-se compreender os processos de interação entre as águas do SAIG/SG na região, utilizando-se como base a evolução hidroquímica e as fácies típicas dos diferentes aquíferos. Os resultados são parte fundamental para o entendimento dos processos de mistura de águas, recargas ascendentes e vulnerabilidade do SAIG/SG. Além de atender ao trabalho de conclusão de curso da graduanda em geologia Mariana Blank os dados irão abastecer a base de informações da Rede Guarani/Serra Geral e servirão também para definir critérios de vulnerabilidade e risco à contaminação vinculados aos aquíferos.

Equipe do LAAm percorre o oeste de SC para levantamento de informações hidrogeológicas

08/09/2016 13:22
Equipe no afloramento da Fm. Serra Geral

Equipe no afloramento da Fm. Serra Geral

Durante os dias 7 à 11 de agosto de 2016 a equipe do LAAm, constituída por Arthur Nanni, Luiz Fernando Scheibe, Leila Amaral, Mariana Blank, Regiane Silva e Rossana Borelli, percorreu várias cidades na região do meio e extremo oeste do planalto catarinense. A atividade teve como principal objetivo realizar a verificação in loco de poços profundos previamente cadastrados, que captam água do Sistema Aquífero Guarani, bem como o levantamento de novos poços com o intuito de melhorar a rede de informações, que dá suporte as investigações científicas do Projeto Rede Guarani/Serra Geral.
Além dessa atividade, a equipe pode verificar as informações pertinentes a geologia atualizadas em 2014 pelo mapa geológico desenvolvido pelo Serviço Geológico do Brasil, que propõe novas unidades estratigráficas para a Grupo Serra Geral. As características dessas novas unidades foram confirmadas e farão parte das bases cartográficas adotadas para o estudo de avaliação da vulnerabilidade à contaminação do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG).

Reconhecimento de solos no município de São Miguel do Oeste.

Reconhecimento de solos no município de São Miguel do Oeste.

Por fim, a equipe avaliou a consistência de outras bases cartográficas e realizou a tomada de estruturas tectônicas, para estabelecer padrões de evolução do terreno, que contém mananciais subterrâneos importantes para o desenvolvimento de Santa Catarina.

Esta pesquisa de campo faz parte da Meta 1 – Componente 1 (M1C1) do Projeto Rede Guarani/Serra Geral, que compreende a coleta de dados hidroquímicos, mapeamento geológico estrutural e hidrogeológico da área de ocorrência do SAIG/SG em Santa Catarina.

Texto: Rossana Borelli e Regiane Silva

Equipe do LAAm avalia águas da bacia hidrográfica do rio Canoas

13/03/2016 23:45

 

Equipe do LAAm em campo para avaliar as águas da porção superior da bacia do Rio Canoas.

Equipe do LAAm em campo para avaliar as águas da porção superior da bacia do Rio Canoas.

Entre os dias 8 e 10 de março de 2016 a equipe de pesquisadores do LAAm esteve presente na porção superior da bacia hidrográfica do Rio Canoas, entre os municípios de Urubici e Rio Rufino. O objetivo da missão de campo foi, a partir de afluentes do Rio Canoas e da interface de contato entre as formações Botucatu e Rio do Rasto, compreender o comportamento das águas subterrâneas provenientes do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG) e sua interação com as águas superficiais nesta bacia hidrográfica. Parâmetros básicos de campo, como pH, oxigênio dissolvido, condutividade e temperatura das águas foram adotados como indicadores para a interpretação da proveniência das águas e sua relação com o escoamento superficial e de base. Esta etapa da pesquisa de campo faz parte da Meta 1 – Componente 1 (M1C1) do Projeto Rede Guarani/Serra Geral, que compreende a coleta de dados hidroquímicos e mapeamento geológico Estrutural, Hidrogeológico da área de ocorrência do SAIG/SG em Santa Catarina. Esta atividade de coleta de dados é também parte da dissertação do mestrando Geovano Pedro Hoffmann: “Efeitos da modificação do uso da terra sobre o comportamento do escoamento em área de descarga do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral”. A equipe foi composta por Arthur Nanni, Geovano Pedro Hoffmann, Leila Carolina Amaral, Luiz Fernando Scheibe, Mariana Blank, Regiane Silva e Rossana Borelli.

Texto: Mariana Blank e Leila Carolina Amaral