Equipe do LAAm publica artigo na GEOSUL

13/07/2017 23:29

Visão panorâmica da Bacia do Rio Biguaçu na porção central do litoral catarinense

A equipe do LAAm publicou artigo O uso da terra e a sua influência sobre o volume das águas na Bacia do Rio Biguaçu/SC, na edição de julho/2017 do periódico Geosul. O trabalho é derivado do trabalho de conclusão de curso em Geografia de Geovano Pedro Hoffmann e desenvolvido sob a orientação do prof. Arthur Nanni.

A temática partiu das evidências de que mesmo com o aumento dos volumes pluviométricos desde a década de 1980 para a região, refletindo em aumento da frequência de enchentes e inundações, a percepção da população local divergia quanto a permanência das águas na bacia hidrográfica, indicando que, no mesmo período houve uma redução do nível mínimo das águas.

Aplicando-se a abordagem da análise ambiental sistêmica, foi avaliada como a alteração do uso e cobertura da terra está interferindo na dinâmica hidrológica da bacia hidrográfica em questão, a interferência dos trechos fluviais retilinizados e quais as perspectivas e recomendações, frente ao futuro cenário de expansão da área de aglomeração urbana da Grande Florianópolis sobre a bacia hidrográfica.

Texto: Geovano Hoffmann

Equipe do LAAm amostra águas no oeste catarinense

17/03/2017 23:05
Determinação de parâmetros em campo.

Determinação de parâmetros em campo.

A equipe do LAAm prossegue com as atividades da Meta 1 – Componente 1 do projeto Rede Guarani/Serra Geral. Entre os dias 13 e 15 foi realizada uma campanha de amostragem de águas subterrâneas nos municípios de Águas Frias e Quilombo, situados no oeste catarinense. A atividade contou com a parceria com a AMOSC e EPAGRI e teve como objetivo a coleta de águas de poços tubulares do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG). A região possui fontes com águas sulfurosas que indicam recarga ascendente de águas subterrâneas profundas evidenciando a interconexão entre os aquíferos que constituem o SAIG/SG. A amostras seguem agora para a determinação de parâmetros físico-químicos, com intuito de diagnosticar diferentes tipos de águas, bem como sua proveniência na coluna hidroestratigráfica. A campanha contou com a participação da engenheira química Juliana Guarda do CIDEMA (Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Meio Ambiente) e da química Adriana Klock, responsável técnica do laboratório do Centro de Pesquisa para Agricultura Familiar da EPAGRI em Chapecó.

Em campo, foram determinados parâmetros como pH, condutividade elétrica e temperatura das águas. Em laboratório serão ainda avaliados cálcio, magnésio, sódio, sulfatos, cloretos, fluoretos e bicarbonatos. Com os resultados, espera-se compreender os processos de interação entre as águas do SAIG/SG na região, utilizando-se como base a evolução hidroquímica e as fácies típicas dos diferentes aquíferos. Os resultados são parte fundamental para o entendimento dos processos de mistura de águas, recargas ascendentes e vulnerabilidade do SAIG/SG. Além de atender ao trabalho de conclusão de curso da graduanda em geologia Mariana Blank os dados irão abastecer a base de informações da Rede Guarani/Serra Geral e servirão também para definir critérios de vulnerabilidade e risco à contaminação vinculados aos aquíferos.

QGIS e LAAm na 15ª SEPEX

22/10/2016 22:24
Curso Introdução ao QGIS que ocorreu no CFH.

Curso Introdução ao QGIS que ocorreu no CFH.

A equipe do LAAm esteve presente na 15ª SEPEX – Semana de Pesquisa e Extensão da UFSC, com o minicurso Introdução ao QGIS. A atividade capacitou 13 educandos de diferentes nacionalidades e cursos de graduação da UFSC, que estiveram presentes durante as 8 horas de curso, que ocorreram nos dias 20 e 21 de outubro de 2016.
Esta edição foi organizada por Geovano Hoffmann, Leila Amaral e Mariana Blank, todos integrantes do projeto de extensão “Adequação ao Aplicativo Computacional QGIS, um Sistema de Informações Geográficas para o Público Brasileiro” e também membros da Comunidade QGISBrasil. As ações do projeto de extensão têm como intuito a divulgação e promoção do QGIS, como um software livre e colaborativo de geoprocessamento para o país.

Texto: Mariana Blank

Equipe do LAAm percorre o oeste de SC para levantamento de informações hidrogeológicas

08/09/2016 13:22
Equipe no afloramento da Fm. Serra Geral

Equipe no afloramento da Fm. Serra Geral

Durante os dias 7 à 11 de agosto de 2016 a equipe do LAAm, constituída por Arthur Nanni, Luiz Fernando Scheibe, Leila Amaral, Mariana Blank, Regiane Silva e Rossana Borelli, percorreu várias cidades na região do meio e extremo oeste do planalto catarinense. A atividade teve como principal objetivo realizar a verificação in loco de poços profundos previamente cadastrados, que captam água do Sistema Aquífero Guarani, bem como o levantamento de novos poços com o intuito de melhorar a rede de informações, que dá suporte as investigações científicas do Projeto Rede Guarani/Serra Geral.
Além dessa atividade, a equipe pode verificar as informações pertinentes a geologia atualizadas em 2014 pelo mapa geológico desenvolvido pelo Serviço Geológico do Brasil, que propõe novas unidades estratigráficas para a Grupo Serra Geral. As características dessas novas unidades foram confirmadas e farão parte das bases cartográficas adotadas para o estudo de avaliação da vulnerabilidade à contaminação do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG).

Reconhecimento de solos no município de São Miguel do Oeste.

Reconhecimento de solos no município de São Miguel do Oeste.

Por fim, a equipe avaliou a consistência de outras bases cartográficas e realizou a tomada de estruturas tectônicas, para estabelecer padrões de evolução do terreno, que contém mananciais subterrâneos importantes para o desenvolvimento de Santa Catarina.

Esta pesquisa de campo faz parte da Meta 1 – Componente 1 (M1C1) do Projeto Rede Guarani/Serra Geral, que compreende a coleta de dados hidroquímicos, mapeamento geológico estrutural e hidrogeológico da área de ocorrência do SAIG/SG em Santa Catarina.

Texto: Rossana Borelli e Regiane Silva

Equipe do LAAm avalia águas da bacia hidrográfica do rio Canoas

13/03/2016 23:45

 

Equipe do LAAm em campo para avaliar as águas da porção superior da bacia do Rio Canoas.

Equipe do LAAm em campo para avaliar as águas da porção superior da bacia do Rio Canoas.

Entre os dias 8 e 10 de março de 2016 a equipe de pesquisadores do LAAm esteve presente na porção superior da bacia hidrográfica do Rio Canoas, entre os municípios de Urubici e Rio Rufino. O objetivo da missão de campo foi, a partir de afluentes do Rio Canoas e da interface de contato entre as formações Botucatu e Rio do Rasto, compreender o comportamento das águas subterrâneas provenientes do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral (SAIG/SG) e sua interação com as águas superficiais nesta bacia hidrográfica. Parâmetros básicos de campo, como pH, oxigênio dissolvido, condutividade e temperatura das águas foram adotados como indicadores para a interpretação da proveniência das águas e sua relação com o escoamento superficial e de base. Esta etapa da pesquisa de campo faz parte da Meta 1 – Componente 1 (M1C1) do Projeto Rede Guarani/Serra Geral, que compreende a coleta de dados hidroquímicos e mapeamento geológico Estrutural, Hidrogeológico da área de ocorrência do SAIG/SG em Santa Catarina. Esta atividade de coleta de dados é também parte da dissertação do mestrando Geovano Pedro Hoffmann: “Efeitos da modificação do uso da terra sobre o comportamento do escoamento em área de descarga do Sistema Aquífero Integrado Guarani/Serra Geral”. A equipe foi composta por Arthur Nanni, Geovano Pedro Hoffmann, Leila Carolina Amaral, Luiz Fernando Scheibe, Mariana Blank, Regiane Silva e Rossana Borelli.

Texto: Mariana Blank e Leila Carolina Amaral

Seleção de bolsistas

26/11/2015 20:09

rede_logo150x150pxO LAAm abre processo de seleção interna de bolsistas (uma bolsa com possibilidade de surgir uma segunda) para trabalhar no Projeto Rede Guarani/Serra Geral. Requisitos:

  • Geomorfologia
  • Geologia estrutural
  • Hidrogeologia
  • Conhecimentos de Linux e QGIS (desejável)

Período de trabalho entre março e dezembro de 2016. Bolsa no valor de R$ 400,00 pela FAPESC (verba já garantida).

Interessados enviar até dia 30/11 mensagem com histórico escolar para

Resultado da seleção para preenchimento de vagas para bolsista de IC, sendo uma cota garantida e outra segunda na dependência de resposta da FAPESC. Logo entrarei em contato com os 3 primeiros para reunir a equipe de trabalho.

Candidat@ IAP 2015/1 Situação final
Mariana Muniz Blank 8,68 Selecionada
Leila Carolina Martoni Amaral 8,64 Preenchimento por sorteio e dependente de retorno da FAPESC
Ramon Vitto 8,64 Preenchimento por sorteio e dependente de retorno da FAPESC
Elisa Gamba Bernardes 2ª suplente
Pedro Mallmann 3º suplente
Gelce Camila Laikovski 4ª suplente
Gisele Lourdes Ribas Amâncio 5ª suplente
Eduardo Jomar da Silveira 6º suplente
Andre Carduz Guimaraes 7º suplente

LAAm conclui o projeto adequação do QGIS ao público brasileiro

19/04/2014 22:53

O LAAm concluiu o projeto de extensão Adequação do Aplicativo Computacional QGIS, um Sistema de Informações Geográficas para o Público Brasileiro, que buscou a popularização deste Sistema de Informações Geográficas para o público nacional.

Iniciada em 2010, a comunidade QGISBrasil precisava ser melhor estruturada e as versões traduzidas da interface gráfica e dos manuais, para o português brasileiro precisavam acompanhar os novos lançamentos do aplicativo. Durante o projeto houveram as traduções das interfaces gráficas das versões 1.6, 1.7.4, 1.8 e 2.0, compreendendo mais de 5000 sentenças de comandos traduzidas/adaptadas. Além deste avanço, houve o lançamento do Guia do Usuário da versão 1.7.4 e encontra-se em fase desenvolvimento a tradução do manual da atual versão 2.2. Todos estes procedimentos contaram com a participação de voluntários participantes da comunidade QGISBrasil.

Ao iniciar as atividades em abril de 2011 a comunidade contava com apenas 28 inscritos no grupo de discussões e atualmente conta com mais de 1000 participantes. Esta tendência de crescimento também é registrada em redes sociais, onde a troca de informações entre usuários é intensa.

Número de inscritos no grupo de discussões da comunidade QGISBrasil no período do projeto.

Ao longo deste período houve a adoção do QGIS como ferramenta institucional em laboratórios de geoprocessamento de universidades  e para gestão territorial, como é o caso do INCRA, que promoveu cursos internos de capacitação de seus técnicos para o uso do QGIS.

Cursos de extensão de curta duração abordando procedimentos básicos de uso foram ofertados gratuitamente nas edições da SEMAGEO e SEPEX, com intuito de atender o público interno da UFSC.

Os dez países que mais acessaram o blog da comunidade desde fevereiro de 2012.

As fronteiras brasileiras foram ultrapassadas pelos canais de comunicação da comunidade e usuários de outros países de língua portuguesa, como Moçambique, Cabo Verde, Portugal e Angola passaram a participar. Isto fez dos canais de comunicação da comunidade QGISBrasil, locais de consulta e inspiração para a criação de outras comunidades ao redor do mundo, como é o caso das comunidades da Malásia e Portugal.

O último passo do projeto foi, após sensibilizar técnicos, descentralizar o gerenciamento da comunidade, repartir o fardo para ser mais facilmente carregado. Hoje a comunidade QGISBrasil conta com esta gestão descentralizada, onde 14 colaboradores desenvolvem voluntariamente a continuidade das atividades promovidas desde 2010.

O formato adotado para difusão das informações da comunidade QGISBrasil foi um blog. Este canal permite a atuação de diferentes autores/colaboradores para troca de tutoriais, aviso de cursos e outros. Este blog teve um significativo incremento de acessos e visitações durante o período do projeto e segue com esta tendência para as próximas versões.

Acessos ao site da comunidade QGISBrasil desde 2010.

O resultado final desta iniciativa do LAAm é o êxito incontestável de ter difundido uma ferramenta computacional de acesso livre francamente usada para o planejamento do território. Este resultado possibilita a inclusão de ferramentas SIG a custos muito baixos ou nulos, dependendo do caso de aplicação, possibilitando a democratização deste tipo de tecnologia

LAAm acolhe o Núcleo de Estudos em Permacultura

16/09/2013 16:39

O Departamento de Geociências e o Laboratório de Análise Ambiental passam a abrigar o Núcleo de Estudos em Permacultura.

O Núcleo é uma iniciativa de professores e alunos de diferentes cursos e tem por objetivo, congregá-los para facilitar o desenvolvimento da Permacultura em meio acadêmico, buscando acessar projetos e promover a pesquisa, o ensino e a extensão.

Já atuante no desenvolvimento da permacultura, o grupo de pesquisa vinculado ao LAAm agora oficializa, em caráter institucional, a permacultura como linha de pesquisa., ensino e extensão.